× Capa Textos Áudios Perfil Livro de Visitas Contato Links
Wilson Magalhães
Poesias e Músicas
Textos
DORES DA ALMA
(Uma palavra ao Setembro Amarelo)

Dores a duras penas contidas
De feridas que corroem sonhos
Cobrem com manto da aflição
Sombras de pesadelos medonhos

Quem navega em águas calmas
Com egoísmo umbilical
Desconhece a apneia escura
De um mergulho no abissal

Um socorro insistente buscado
No ponto cego de cada um
Não encontra devido amparo
No senso lógico ou comum

A falta de amor ou dinheiro
Benesses ou dificuldades da vida
Desejos ou visões diferentes
Desprezadas ou reprimidas

Um filme que passa na mente
Precede um desfecho fatal
Mas se fosse percebido antes
Não teria o mesmo final

O olhar de uma palavra amiga
O carinho de uma mão estendida
Compreensão e atitudes simples
Confortam e salvam vidas
Wilson Magalhães
Enviado por Wilson Magalhães em 09/09/2022
Comentários

RETRATO FALADO

 

Torço para um time, mas posso mudar

Depende pra onde o vento tocar

Casei muitas vezes, defendo o lar

Meu último filho pensei abortar

 

Meu sêmen é forte, sou macho espada

Juro que até hoje, não dei uma brochada

Nem sempre acontece a coisa esperada

Nasceu uma fêmea de uma fraquejada

 

Repito versículos como devoção

Mas quando discurso falo palavrão

Misturo interesses com religião

As coisas do céu com as coisas do chão

 

Minha ignorância, chamo de estilo

Neguei a vacina, não virei crocodilo

Escondo os gastos, as contas, os vacilos

Pra ninguém saber, cem anos de sigilo