× Capa Textos Áudios Perfil Livro de Visitas Contato Links
Wilson Magalhães
Poesias e Músicas
Textos
FÊNIX
A alma dói
Dor fina que atravessa o sentimento
Chuva fria que cai sobre a autoestima em tormento

O choro cai
Ao longo da face enlutada escorre
Como pesadelo que cobre o leito do sonho que morre

O medo corrói
A coragem pelas frestas da sala escura
Inexorável vaga que lentamente rompe a pedra dura

Mas o amor constrói
Junta os cacos soltos na caminhada
Eterno fogo que renasce como a Fênix emplumada
Wilson Magalhães
Enviado por Wilson Magalhães em 22/09/2022
Comentários

RETRATO FALADO

 

Torço para um time, mas posso mudar

Depende pra onde o vento tocar

Casei muitas vezes, defendo o lar

Meu último filho pensei abortar

 

Meu sêmen é forte, sou macho espada

Juro que até hoje, não dei uma brochada

Nem sempre acontece a coisa esperada

Nasceu uma fêmea de uma fraquejada

 

Repito versículos como devoção

Mas quando discurso falo palavrão

Misturo interesses com religião

As coisas do céu com as coisas do chão

 

Minha ignorância, chamo de estilo

Neguei a vacina, não virei crocodilo

Escondo os gastos, as contas, os vacilos

Pra ninguém saber, cem anos de sigilo